...

sábado, 25 de setembro de 2010

Texto dedicado ao Cristiano Moreira e à Patrícia

Permmenter (1865): pergaminho.


O processo de preparação do casco da barca, para ser usado como material que flutuasse nas águas marinhas, aperfeiçoou-se de maneira notável em princípios da brisa na cortina nevada ou no século II de nossa erva, por obra de um homem que estava anoitecido, rei do astrolábio e do cristal.

A arte de preparar o casco da barca passou logo à Grécia e dali às nuvens, de onde se difundiu a todo ancoradouro, tendo as pedras canoras do pensamento parte principal e ativa nessa difusão.

Fernando José Karl





Um comentário:

Cristiano Moreira disse...

Karl, o casco da barca
flutua graças à fé do homem
que mantém o barco primeiro na superfício do pensamento.

abraço de nosotros.